Dar mesada para adolescentes ensina a lidar com dinheiro na prática. Saiba como.

Um dos maiores desafios da vida adulta é lidar com o dinheiro de forma consciente. Mas essa habilidade não acontece da noite para o dia: ela é desenvolvida a partir de acertos e erros, ou seja, de experiências que se tornam lições práticas ao longo de muitos anos. É por isso que os especialistas em educação financeira recomendam que as famílias iniciem esse processo de aprendizado o quanto antes. E a melhor forma de oferecer essa vivência para os adolescentes é por meio da mesada. Ela é um treino para uma fase de maior maturidade, justamente no momento em que eles começam a ter autonomia, mas ainda contam com a orientação dos pais.

Confira a seguir como a mesada para adolescentes é o melhor instrumento para ensiná-los a lidar com dinheiro na prática.

Integra os jovens no orçamento familiar

A adolescência marca uma transição entre a infância, quando a criança depende dos pais para quase tudo, e a vida adulta. Nessa fase intermediária, os jovens começam a ganhar autonomia, mas ainda precisam do apoio da família em vários aspectos, inclusive o financeiro. Dar mesada é uma forma de oferecer aos seus dependentes a oportunidade de cuidar de uma parte do orçamento familiar, permitindo que eles usem o dinheiro de forma autônoma para cobrir determinados gastos.

Na prática, isso pode ser feito de uma forma simples. Considere todos os gastos que você tem mensalmente com seus dependentes e avalie quais são feitos diretamente por eles: por exemplo, os lanches da escola, o transporte, as despesas com lazer. Em seguida, calcule o custo médio desses itens em um período de tempo. Este será o total da mesada. O ideal é começar semanalmente, para que os adolescentes não gastem tudo de uma vez. Ela deve ter um valor fixo, pago com regularidade, sempre no mesmo dia da semana. 

O importante é que aos poucos eles aprendam a administrar o próprio dinheiro. Se a cada vez que precisam, a única coisa que ouvem é um “sim” ou um “não”, isso não os ensina a lidar com os recursos financeiros de forma consciente e planejada.

Desenvolve habilidades na prática

Por ter um valor limitado, a mesada ensina de forma prática a só gastar aquilo que eles têm. No início eles cometerão erros, mas isso faz parte do processo de aprendizagem. Com o tempo, perceberão quanto podem gastar por dia e, se cometerem excessos, saberão compensar economizando no dia seguinte. Assim, ao dar a mesada para adolescentes sempre em uma data fixa, você também os ajuda a planejar os gastos em função do tempo. 

Outra lição importante é que o dinheiro tem regras de uso. O fato de poderem gastar com autonomia não significa que o orçamento possa ser utilizado da maneira que quiserem. Ao estabelecer a quantia, combine também quais despesas precisam ser cobertas pela mesada. Por exemplo, você pode começar pelo lanche da escola. Assim, seus dependentes podem optar por comprar opções mais  baratas ou levar um alimento de casa em alguns dias da semana, economizando uma parte para comprar itens de seus games favoritos. Mas só poderão fazer isso nos dias e horários em que os jogos são permitidos!

Leia também: Autonomia na adolescência: como equilibrar liberdade e responsabilidade

Mais uma dica

Por fim, é importante que a mesada seja suficiente para cobrir as necessidades de seus dependentes, mas dentro de um valor compatível com a renda de sua família. Além disso, ela deve estar adequada ao perfil de consumo e aos valores que você deseja transmitir a eles. Cada família prioriza determinados gastos em relação a outros, e é importante conversar com os adolescentes para orientá-los sobre como o dinheiro deve ser usado. Lembre-se: a escassez ensina mais que a fartura!

Gostou das dicas? Saiba mais sobre como usar a mesada para ajudar seus dependentes a lidar com dinheiro 

Compartilhe nas redes

Abra a câmera do seu
celular e aponte para esse QR Code.

Pronto! É só baixar o app direto no celular!