Como inspirar a juventude a ter consciência financeira? Confira nossas dicas

Você sabia que o Dia Internacional da Juventude é comemorado neste 12 de agosto? A ONU criou essa data pensando na conscientização do mundo sobre o papel dos jovens: afinal, eles têm uma grande responsabilidade como representantes do futuro do planeta.

Quando se trata do consumo, a chamada Geração Z valoriza produtos e serviços sustentáveis e, principalmente, a transparência das marcas em relação a valores como diversidade, por exemplo. Mas na hora de cuidar dos próprios gastos, infelizmente eles não têm se mostrado tão conscientes. Uma pesquisa do SPC Brasil, divulgada pela Agência Brasil, mostrou que quase metade das pessoas entre 18 e 25 anos não faz controle das despesas. Os dados também mostraram um endividamento recorde dos mais jovens. 

Mas como é possível se preocupar com a sustentabilidade sem pensar, também, na sustentabilidade financeira? É aí que entra o papel dos adultos: cabe a nós orientar e inspirar os adolescentes a se tornarem cidadãos conscientes e competentes financeiramente. Confira nossas dicas!

 

Ganhar com regularidade

A gente recomenda que a família não trate o dinheiro recebido pelos adolescentes como “pagamento” pela realização de tarefas domésticas. A mesada também não é “moeda de troca” para um bom desempenho escolar, por exemplo. Essas são responsabilidades de todo adolescente e devem ser bem desempenhadas independentemente de recompensa financeira.

O dinheiro dado aos dependentes deve ser encarado como uma oportunidade de gerenciar parte do orçamento familiar. Estabeleça um valor fixo e pague sempre em datas certas: isso é muito importante para ajudar na próxima dica, que é o planejamento dos gastos!

No Blu, o titular pode criar uma mesada semanal ou mensal para cada um dos dependentes. Para facilitar, transfira o valor total do mês para sua carteira e programe a mesada. Os valores serão transferidos automaticamente nos dias definidos, com toda a comodidade para você.

 

Planejar com metas e estratégias

Desde cedo é possível incentivar o planejamento. Mas, com adolescentes, não adianta querer criar planilhas nem programas de acompanhamento de gastos. Nessa fase da vida eles ainda estão aprendendo a controlar os impulsos e muitas vezes confundem desejos com necessidades. Para começar, incentive-os a consultar sempre o extrato para saber quanto do dinheiro já foi usado e quanto ainda falta. Calculem juntos uma média diária de gastos: quando o valor for ultrapassado, o adolescente já saberá que precisa economizar no dia seguinte. 

Por fim, é importante criar disciplina a partir de metas fáceis de alcançar. Saber o que quer é o primeiro passo para se sair bem na próxima dica, que é aprender a poupar!

O extrato do Blu fica disponível para os titulares e os dependentes. Acompanhe junto com seus dependentes a forma como eles estão gastando. Mas lembre-se: a ideia não é controlar, já que a mesada serve para ensiná-los a gastar com autonomia. O papel do adulto é apenas ajudar os adolescentes a identificar eventuais gastos desnecessários e orientá-los para ajustar o comportamento e se manterem dentro do plano. 

Confira nossas dicas para preparar uma estratégia de consumo por necessidade e por desejo 

 

Reservar com propósito

Imagine dizer para um adolescente que ele não precisa dos pais para comprar o que mais quer! Esse é o estímulo mais poderoso para se criar o hábito de poupar. 

Além disso, economizar é mais fácil quando se tem um propósito. Por isso, comece perguntando qual é o sonho de consumo do adolescente. Pesquisem juntos os preços e tracem um plano de ação para alcançá-lo. 

No Blu, tanto titulares quanto dependentes podem criar reservas para objetivos específicos. Vocês podem combinar o valor do item desejado e o prazo para comprá-lo. O app calcula quanto terá que ser poupado por mês. Mas atenção: é o próprio adolescente que precisa passar os valores para a reserva, isso não é feito automaticamente! A ideia é desenvolver o hábito de separar um pouco do dinheiro para alcançar aquilo que se deseja.

Você sabia que adolescentes que ganham mesada poupam mais?

 

Consumir com consciência

Quando se trata de educação financeira, o consumo consciente envolve um conceito de sustentabilidade que começa com questões simples sobre o impacto de uma compra no orçamento disponível. Para desenvolver essa habilidade, vale fazer analogias entre a sustentabilidade financeira e a ambiental.

Ensine ao adolescente que o dinheiro é um bem escasso, assim como os recursos naturais. Também da mesma forma, o nosso consumo tem impactos nas nossas finanças. O uso que fazemos do dinheiro precisa considerar sua durabilidade ao longo do tempo!

Sempre que o dependente faz uma compra usando o cartão Blu, o titular recebe uma notificação em tempo real. Isso permite acompanhar os gastos que estão sendo feitos e dar orientações. Vale lembrar que quem gasta mais do que tem está na contramão do consumo consciente.

 

Doar com empatia

Por fim, quando falamos na habilidade de doar, vale lembrar que nem toda doação envolve dinheiro. O foco é na contribuição com a sociedade e na empatia com as necessidades de outras pessoas. Isso pode ser traduzido em roupas que não cabem mais — mas ainda podem servir para alguém — ou no tempo dedicado a uma causa.

Os adolescentes podem e devem contribuir desde cedo para construir um mundo mais justo, e podem fazer isso com doações ou ações de voluntariado. 

Incentive seus dependentes a entrar nos Desafios Blu sobre a habilidade Doar. São quizzes com situações didáticas elaboradas a partir do dia a dia dos adolescentes especialmente para incentivar esse hábito!

 

Siga o Blu nas redes sociais Instagram e Facebook para mais dicas.

Compartilhe nas redes

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Abra a câmera do seu
celular e aponte para esse QR Code.

Pronto! É só baixar o app direto no celular!

Ao acessar o nosso site, você está de acordo com a nossa política de privacidade. Saiba mais aqui