4 motivos por que os pais não dão mesada — e por que isso é um erro

Muitas famílias já adotam a mesada como forma de ajudar crianças e adolescentes a desenvolver a consciência financeira. Mas ainda é comum vermos pais e mães que desistem de dar um valor fixo aos filhos — ou nem tentam. Do ponto de vista da educação financeira, isso é um erro: a mesada é uma ferramenta muito importante para ensinar, na prática, que lidar com dinheiro é fazer escolhas. Há especialistas que a enxergam como uma oportunidade dos filhos cuidarem de uma parte do orçamento familiar, desenvolvendo a autonomia e dando os primeiros passos no planejamento financeiro.

Saiba como a mesada ajuda no aprendizado do planejamento financeiro

Ainda não se convenceu que a mesada é a melhor forma de dar dinheiro a seus filhos? Confira a lista que preparamos com dicas para que você evite cair no erro de desistir da mesada.

  1. Não sei quanto devo dar

Educadores financeiros sugerem que se dê, por semana, um real para cada ano da idade da criança ou pré-adolescente. No caso dos adolescentes, pode ser necessário adaptar essa regra, dependendo da rotina de cada família.

Essa dica é um bom começo, mas é importante levar em conta  que o valor deve ser adequado ao orçamento da família. Por isso, o mais importante é que a mesada seja suficiente para cobrir algumas necessidades, mesmo que não pague todas as despesas dos adolescentes. Quando começar, dê um valor fixo em uma data certa, e combine com eles quais pagamentos devem ser feitos com esse dinheiro: pode ser para complementar o lanche da escola, para quando quiserem comprar alguma coisa extra, para comprar quadrinhos ou usar na loja de games. É fundamental deixar claro que, dentro do que foi combinado, eles têm autonomia para gastar como quiserem.

Com o Blu, você transfere dinheiro instantaneamente para os dependentes e eles usam como e onde quiserem, inclusive em lojas online. Nunca mais eles vão pedir seu cartão emprestado!

  1. Meus filhos perdem o dinheiro

Pré-adolescentes e adolescentes passam por grandes mudanças no corpo e também no cérebro. Isso faz com que muitas vezes eles sejam excessivamente distraídos, tenham dificuldade para se concentrar ou lembrar de coisas importantes. Essa característica da fase é usada como argumento, por muitos pais, para não dar dinheiro na mão dos filhos, afinal eles podem perder e causar prejuízos.

Só que é importante lembrar que a adolescência é a fase ideal para desenvolver novas habilidades. E lidar com valores financeiros é, também, uma questão de prática. Dar a mesada é uma forma de ajudar os adolescentes a usar os erros como oportunidades para aprender. 

O Blu é um cartão pré-pago, que permite aos adolescentes usar o dinheiro sem o risco de estourar o limite nem “esquecer” o troco. E se por acaso o cartão for extraviado, ele pode ser bloqueado imediatamente e o saldo não é perdido. É muito melhor que dinheiro vivo!

Saiba como os adolescentes tomam decisões

  1. Eu esqueço de dar a mesada

Muitos pais e mães desistem de dar a mesada com valor fixo em datas regulares porque isso implica em mais uma tarefa no dia a dia já atribulado de quem cuida de uma família. Afinal, se for combinado que os filhos receberão R$ 12,00 todo sábado, é preciso verificar na véspera se tem o dinheiro em espécie. É comum que isso vire uma obrigação difícil de se cumprir, criando a necessidade de passar no banco, ir ao mercado tentar trocar o dinheiro, nem sempre há cédulas no valor exato… 

O resultado é que a mesada vira uma tarefa complicada para os pais! Na falta do dinheiro vivo, eles combinam que vão juntar a mesada de uma semana com a da outra e acabam criando “saldos” para os filhos, em vez de entregar o dinheiro para usarem como quiserem. Isso elimina as principais vantagens da mesada, pois eles perdem oportunidades de desenvolver a autonomia, aprender a planejar os gastos e fazerem as próprias escolhas quando se trata de usar o dinheiro — inclusive a escolha de poupar.

É possível programar a mesada no Blu. Você decide o valor e o período do pagamento. Para facilitar, pode transferir os recursos para sua carteira uma vez por mês, e o app deposita a mesada combinada automaticamente na conta dos dependentes nas datas certas. E não se preocupe: se não tiver saldo no momento de pagar a mesada, uma notificação será enviada para que você se lembre!

  1. Eles só gastam com besteira

O objetivo da mesada é proporcionar um aprendizado prático sobre como lidar com dinheiro. Isso quer dizer que ela serve para que os adolescentes façam suas próprias escolhas e aprendam com os erros e acertos. Ou seja, mesmo que gastem com coisas que você não considera essenciais, é importante que eles tenham autonomia para lidar com o próprio dinheiro.

Mesmo assim, você pode ajudar: identifique, junto com eles, quais gastos foram desnecessários e sugira o que pode ser feito para melhorar na semana seguinte. Use a mesada como uma oportunidade para conversar abertamente sobre dinheiro e planejamento financeiro, de uma forma prática e descomplicada.

Além disso, se perceber que os gastos com supérfluos estão excessivos, você pode diminuir o valor semanal, sem eliminar o pagamento de um valor regular. Uma boa estratégia é garantir o pagamento de despesas necessárias (como transporte e alimentação) e deixar a mesada para os “extras”, que podem e devem ser gastos como eles quiserem. Assim, desde cedo irão aprender que gerenciar um orçamento é fazer escolhas o tempo todo!

Para ajudar a entender como o dinheiro foi gasto, consultem juntos o extrato do Blu. 

Para ajustar a mesada, basta mudar o valor programado no app. E você pode enviar dinheiro para as despesas regulares sempre que precisar, instantaneamente e a qualquer dia da semana.

Então, por onde começar?

Comece com um valor baixo e dê a mesada semanalmente. Assim, os adolescentes recebem pouco dinheiro, por um período mais curto. Possíveis erros causarão menos perdas e poderão ser corrigidos mais rapidamente. Por outro lado, se eles conseguirem gastar menos do que receberam, poderão começar a economizar, que é outro benefício significativo quando se opta por pagar a mesada.

É importante não vincular o pagamento da mesada a tarefas domésticas nem a notas escolares. Ela não é um “salário” nem um “prêmio”, mas sim uma forma de dar aos pré-adolescentes e adolescentes a oportunidade de administrar o próprio orçamento, planejar gastos e aprender a poupar — por isso, não tem a ver com mérito nem com bom comportamento. 

Confira as dicas de especialistas sobre a mesada 

E lembre-se: é possível programar esses pagamentos com a ajuda do app. Por exemplo, você pode depositar R$ 100,00 por mês na sua carteira e estabelecer uma mesada semanal de R$ 25,00. Se você tem dois filhos, pode depositar R$ 200,00 e criar mesadas de R$ 25,00 para cada um deles. As transferências serão feitas automaticamente, sem que você precise se preocupar. E se por acaso esquecer de depositar novamente no mês seguinte, nós mandamos uma notificação para o seu celular.

Use tudo o que o Blu oferece e comece hoje mesmo a educação financeira de sua família!

Compartilhe nas redes

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Abra a câmera do seu
celular e aponte para esse QR Code.

Pronto! É só baixar o app direto no celular!

Ao acessar o nosso site, você está de acordo com a nossa política de privacidade. Saiba mais aqui